quarta-feira, 9 de novembro de 2022

ADEUS JUQUERI!

Sobre o fechamento histórico de hospital que já foi marco de um antigo e obsoleto modelo de tratamento

Adeus, Juqueri!

Inaugurado em 1898, por Franco da Rocha, o Hospital Psiquiátrico do Juqueri chegou, nos anos de 1970, a ter 16.000 pacientes-moradores.

Fechar os leitos ocupados por esses pacientes - moradores de longa permanência dos hospitais psiquiátricos - num processo de desinstitucionalização, levando-os a voltar a viver e a morar nas cidades, devolvendo-lhes a dignidade, a cidadania, o direito de ir e vir e o cuidado em liberdade, sempre foi um grande desafio para a gestão estadual.

Hoje, o processo de desinstitucionalização chegou àquele que foi o maior hospital psiquiátrico público do Estado de São Paulo, com o empenho da Coordenadoria de Serviços de Saúde e da Coordenadoria de Controle de Doenças através da assessoria técnica de saúde mental, e com a participação de muitos municípios que, apesar das dificuldades, acolheram e acreditaram nas possibilidades de cada um destes cidadãos.

Diferente de outras estratégias de redução de ocupação de leitos por moradores, o que desenvolvemos no Estado de São Paulo foi um processo cuidadoso de desinstitucionalização que cuida dos afetos constituídos e que busca a inclusão na vida das cidades daqueles que por anos ou décadas tiveram seus direitos violados.

Não é mentira, hoje, 1º de abril de 2021, aconteceu! O Juqueri fechou!

Assistir presencialmente as altas\saídas dos últimos nove pacientes-moradores do Juqueri nos tomou por forte emoção, difícil de dizer...

Muito teremos de contar, narrar, aprender para não repetir, mas hoje, não há palavras possíveis para informar o encerramento da longa história do Juqueri. Nunca mais haverá pacientes-moradores, porque hospital não é lugar de morar...

Pedimos desculpas para aqueles e aquelas, ``moradores e moradoras´´, que não alcançaram a possibilidade e o direito de morar na cidade, porque chegamos tarde demais...

Adeus, Juqueri!   

Texto de Mirsa Elisabeth Dellosi

Desenvolvido pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas
Governo do Estado de SP